Notícias

UFVJM - Campus Janaúba desenvolve pesquisa para a produção de novo etanol

O estudo, coordenado pela professora Dra. Vivian Benassi, é realizado à base de fungos, dos quais se espera extrair novas formas de enzimas que possam ser aplicados em processos indústrias.

Foto: A coordenadora da pesquisa, Professora Doutora Vivian Benassi, de pé, acompanhando seus orientandos (Tarcício Rosa, à esquerda, Mariana Tainna, Bárbara Mota, à direita e Liliane Tamires) em mais um dia de pesquisa, no laboratório da UFVJM – Janaúba


A cidade de Janaúba, polo na região da Serra Geral de Minas, experimenta o início de um futuro tecnológico promissor, que coincide com a instalação e o funcionamento da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM, no município, que oferta cursos de graduação em diferentes áreas da engenharia. É a abertura de novos horizontes que nascem no sertão norte-mineiro com a chegada da universidade federal, o que representa novas perspectivas de crescimento e desenvolvimento do município e da região no contexto da educação.
Aliada a esse novo tempo que o município janaubense vive no ensino superior, a UFVJM, através da pesquisadora Dra. Vivian Machado Benassi, ex-coordenadora do curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia (BCT), desenvolve um importante projeto de pesquisa de Coleta e Isolamento de Fungos Filamentosos, que iniciou em agosto deste ano, e que, já apresenta resultados positivos, como, a descoberta de fungos que se desenvolvem em temperaturas que variam entre 45ºC a 50ºC graus diferentes do que constam dos registros da Literatura atual, que mostram que os fungos existentes nessa linhagem ocorrem entre 30ºC a 35ºC graus.
Para a professora Dra. Vivian, graças à ciência e técnicas como essa, que vem sendo trabalhada em laboratório da UFVJM, a perspectiva é de que, sejam identificadas novas formas de enzima voltada à aplicação em setores da indústria, de alimentos e cosméticos.
Uma vez, vencida essa etapa da pesquisa, a técnica da Dra. Vivian Benassi, que a cada dia é mais bem aprimorada conta com o apoio de um grupo de cinco universitários do 3° período da UFVJM: Tarcísio Rosa, Mariana Tainná, Liliane Tamires e Bárbara Mota.
No futuro, a professora vislumbra obter a produção de bioetanol ou etanol de segunda geração que não deixaria em nada a desejar ao tradicional, hoje comercializado pelo mercado brasileiro.


CONTRIBUIÇÃO
Como em grandes centros de pesquisa, o município janaubense dentro de suas limitações, também dá sua contribuição à nação brasileira, através desses experimentos em curso a partir do conhecimento de um corpo docente altamente qualificado da UFVJM, além dos discentes que também possuem papel relevante no grupo de pesquisa.
De acordo com a professora Vivian, a iniciativa do projeto de pesquisa resultou na elaboração de cinco trabalhos apresentados no SINTEGRA - evento científico da UFVJM - realizado em Diamantina, este ano. Ela afirma que todos foram muito elogiados em razão de suas especificidades, principalmente a citada pesquisa com fungos, com vista à produção de bioetanol.
A técnica da pesquisadora Benassi permitirá a produção de enzimas capazes de se incorporar a resíduos industriais, como o do bagaço da cana-de-açúcar e suas folhas, possibilitando a geração do novo combustível que, ecologicamente falando, agride muito menos o meio ambiente.


BENEFÍCIOS DO ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO:
Aproveitamento da cana-de-açúcar e seus subprodutos;
Utilização de insumos já disponíveis nas unidades, apresentando uma vantagem logística;
Aumento da fabricação de etanol em até 50% sem ampliar a área de cultivo;
Produção do biocombustível mesmo durante a entressafra da cana;
Redução da emissão de carbono durante a produção, gerando um combustível mais limpo.


PREFEITURA PARCEIRA DA UFVJM


A chegada da universidade federal em Janaúba representa ganhos relevantes nos campos da pesquisa, extensão e do conhecimento como um todo, nas diferentes áreas da engenharia, caso dos cursos ofertados pela universidade. Atenta a esse futuro de oportunidades que se abre pela frente, fundado na premissa de que, a educação é base de desenvolvimento de qualquer nação, Janaúba faz o “dever de casa”, ao receber bem e apoiar instituições de ensino, como a UFVJM e IFNMG. Dentro desse contexto, proporciona a elas, através da Prefeitura Municipal e Secretaria Municipal de Educação, condições que permitiram a instalação e o funcionamento de seus cursos técnicos, e de graduação da citada federal (Ciência e Tecnologia, Engenharia Física, Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas, Engenharia Metalúrgica e Química Industrial) ofertados nas dependências em instalações provisórias, no Caic, no bairro Veredas, até que as sedes definitivas dessas instituições sejam concluídas.